Logística reversa: saiba como aplicá-la no seu negócio

Supporte Logística | 20 de junho de 2018 | Logística

A logística reversa é um processo que envolve uma série de etapas para que a sua empresa possa oferecer um caminho de volta para os resíduos originados pelo consumo de um produto. Esses procedimentos têm como objetivo recolher, reaproveitar ou destinar corretamente o que sobra do pós-venda ou pós-consumo daquilo que foi produzido por uma companhia.

Esse conceito, apesar de estar cada vez mais em pauta pelo aumento da preocupação das empresas com sustentabilidade, já é lei desde agosto de 2010. A Política Nacional de Resíduos Sólidos, contida na Lei nº 12.305, obrigada certos setores produtivos, incluindo fabricantes, importadores, distribuidores e comerciantes, a darem um encaminhamento correto e ecologicamente responsável para os resíduos gerados por seus produtos.

Empresas que produzem agrotóxicos, pilhas, baterias, pneus, óleos lubrificantes, lâmpadas fluorescentes e produtos eletroeletrônicos são algumas das que são obrigadas a implementar um sistema de logística reversa.

Como funciona

Para adotar esse tipo de política sustentável dentro da sua empresa, a principal tarefa é elaborar um plano de coleta dos resíduos produzidos, com pontos em lojas, parcerias com cooperativas ou serviço de recolhimento na casa dos consumidores. Fazer a divulgação desses pontos de coleta é fundamental para que os seus clientes saibam onde e como descartar os resíduos.

Um ponto importante, e que precisa ser levado em consideração quando o seu negócio montar um planejamento desses, é que os consumidores podem querer devolver produtos que não foram utilizados, mas que vieram com defeito de fábrica, danos ou que simplesmente não atendem ao que eles esperavam. Para isso, o melhor é ter um ponto de recolhimento específico para esse tipo de coleta, já que, nesse caso, o atendimento ao cliente precisará ser mais contundente para que, além do recolhimento do produto que ele não quer, seja feita a troca por algo que atenda às suas expectativas. Esse caso, chamado de pós-venda, é muito explorado por companhias de aparelhos tecnológicos, como celulares e computadores, que conseguem usar quase todo o material para inseri-lo novamente na cadeia produtiva.

Já o processo de pós-consumo se resume na coleta dos resíduos formados pelos clientes depois que o produto já foi usado. Nesse caso, o processo pode ter três destinos diferentes: reutilização, se o produto ainda cumprir com a sua função; reciclagem de peças, se ele chegou ao fim da vida útil, mas ainda tem alguma serventia; descarte, caso não houver maneira de recuperá-lo.

No caso de materiais que possam ser nocivos à saúde ou ao meio ambiente, o correto é que a empresa que fabricou aquele bem em primeiro lugar tenha um local adequado para o descarte responsável desses resíduos.

Vantagens para as empresas

A questão é que, apesar de não fazerem parte do grupo que é obrigado por lei a cumprir com essas demandas, muitas empresas estão aderindo a essas práticas por enxergarem na logística reversa muitos benefícios não só para a marca como também para toda a cadeia produtiva.

A logística reversa, apesar de parecer exigir mais da empresa do que simplesmente mandar seu produto em via única, traz muitos benefícios. Quanto mais forte for essa política dentro da companhia, maior o retorno ela terá dos clientes. Para começar, e talvez um dos itens mais importantes, a logística reversa é um processo que está previsto por lei e que, portanto, deve ser cumprido pelas empresas que produzam resíduos. A punição para as companhias que não seguirem com o que está previsto na Política Nacional de Resíduos Sólidos são multas de R$ 50 a R$ 2 milhões, dependendo do tamanho e da área de atuação da empresa.

A segunda vantagem mais importante para a sua empresa é que ter uma política que se preocupa com o meio ambiente e que promove ações para reduzir a quantidade de lixo nas cidades reutilizando os materiais do seu produto pode gerar uma imagem muito positiva para a sua marca. O tema sustentabilidade já está em pauta há alguns anos, e a tendência é que as empresas invistam, cada vez mais, em um compliance ligado com questões dessa área. Já existem grupos de consumidores, inclusive, que se recusam a adquirir produtos de empresas que não sejam ambientalmente responsáveis.

Além disso, apesar de já termos muitos exemplos no Brasil, o investimento em sustentabilidade ainda está dando seus primeiros passos por aqui. Isso significa que há todo um nicho de mercado que pode ser explorado a partir dessas práticas e depois ainda ser usado como uma das bandeiras levantadas pelo seu negócio. Outro grande benefício de investir nesse ciclo de retorno é a redução de custos. Apesar de parecer um processo complexo por envolver etapas do pós-consumo que não estão mais no campo de visão da empresa, esse retorno do material para o fabricante pode reduzir uma boa parte dos gastos com matérias-primas. Fabricantes de garrafas PET, por exemplo, conseguem aproveitar quase que totalmente a matéria quando ela é reciclada.

Fora que o processo de distribuição e logística acaba sendo o mesmo para o caminho de ida do produto: a mesma empresa que leva os produtos de loja em loja pode trazê-los de volta para o fabricante. Com essa troca constante e direta entre o cliente e o fornecedor, ainda é possível administrar melhor falhas que possam surgir no processo, principalmente no processo de logística reversa a partir do pós-venda. Se a sua empresa incentivar o seu cliente a retornar o material danificado, fica muito mais fácil identificar a falha, corrigi-la e ainda garantir que o consumidor prejudicado continue satisfeito com a sua marca. A gestão de qualidade do serviço que a sua companhia entrega fica muito mais fácil de ser feita. E, para você não ter dúvidas de que a logística reversa é um processo que ajuda a sua empresa a crescer, basta dar uma olhada no que tem sido feito mundo afora em relação a esse tipo de prática. Grandes empresas de tecnologia, como Apple, Dell e Samsung, oferecem pontos de coletas de equipamentos aposentados pelos consumidores, enquanto companhias de cosméticos, como a norte-americana MAC e a brasileira Natura, incentivam a logística reversa em campanhas que dão produtos novos em troca das embalagens vazias.

A logística reversa é uma política que veio para ficar e que ajuda a posicionar a sua empresas como uma marca consciente no mercado, além de contribuir para a reduzir custos e a melhorar o seu relacionamento com o cliente.

Precisando de apoio na área de logística em sua empresa? Conte com a Supporte. Temos a solução completa que você precisa: logística customizável, distribuição e venda B2B, fulfillment, venda B2C e marketplace. Nossa equipe capacitada está pronta para ajudar sua empresa. Entre em contato conosco e saiba mais.